18 de jan de 2012

Resenha: Zombies en La Moneda


Zombies en La Moneda é um jogo chileno criado por Francisco Varas E. produzido pela  editora Tabula Rasa baseado em uma HQ de muito sucesso no Chile produzida pela editora Mythica . Ainda não tive oportunidade de ler, mas em outro blog sobre zumbis que acompanho encontrei uma tradução de um trecho da HQ:

"Algo - um vírus, uma praga bíblica ou uma maldição vudu - transformou milhares de chilenos em seres que dificilmente poderíamos qualificar como humanos... com carnes putrefadas e com um apetite impossível de saciar, salvo através de festins canibais, estes mortos-vivos mostraram ainda um comportamento inesperado: se puseram a tomar o Palácio de La Moneda."


O jogo é para 2 à 6 jogadores e funciona bem com qualquer número de pessoas, duração prevista de 15 minutos, são 66 cartas que compõem o baralho composto por cartas de Sobreviventes, cartas de Zumbis e as cartas especiais de Policial, Infectados e Detonar explosivo, assim como 6 cartas de explosão que vão sendo colocadas abaixo da caixa do jogo para que todos os jogadores saibam quantas bombas já foram detonadas e quantas ainda faltam para o fim do jogo, que termina assim que a sexta bomba seja detonada.


A arte da caixa do jogo representa o Palácio de La Moneda onde as 6 bombas devem ser detonadas.

O jogo começa com a distribuição de duas cartas para cada jogador e a cada turno os jogadores devem comprar uma carta e baixar uma carta em seguida, abaixo uma breve explicação sobre o efeito de cada carta.

Bombas: O jogador tem certo controle sobre o término do jogo escolhendo jogar ou segurar as cartas de explosão em sua mão, enquanto baixa cartas de sobreviventes a sua frente formando sua zona de resgate ou baixa cartas de zumbis frente a zona de resgate de seus oponentes para diminuir o contingente adversário.

As bombas podem ser jogadas no seu turno acrescentando uma carta de explosão no Pálacio de  La Moneda e pemitindo ao jogador que detonou o explosivo comprar  outra carta, isto ao mesmo tempo acelera o término do jogo e aumenta a mão do jogador que detonou a bomba em mais uma carta o que pode ser uma grande vantagem no jogo.

Caso um jogador tenha seu grupo de sobreviventes atacado por zumbis adversários ele também pode detonar um explosivo neste momento do turno do oponente para evitar o ataque com a explosão.




Sobreviventes: As cartas de humanos representam os sobreviventes que estão sendo resgatados em seu grupo, estas cartas tem números de 1 à 5, sendo assim quando um jogador tem 5 cartas provavelmente o número de pessoas resgatas será bem maior que 5 por exemplo.
Ao final do jogo os jogadores contam o total de sobreviventes resgatados e aquele que salvou a maior quantidade de pessoas será o vencedor.




Policial:  Se um jogador tiver uma carta de Policial em sua zona de resgate e sofrer um  ataque zumbi ele pode escolher descartar seu policial para salvar os outros sobreviventes, caso o jogo termine e um jogador tenha um policial em sua zona de resgate este conta como um humano na contagem de pontos.




Infectados: Infelizmente as vezes o jogador acaba por resgatar um humano infectado em seu grupo de sobreviventes e este elimina duas cartas de sobreviventes a escolha do próprio jogador que baixou o infectado, como o jogador é obrigado a baixar uma carta por turno certas vezes acaba por não ter outra opção que não seja atacar seu próprio grupo, mas nada impede que um jogador baixe seu infectado em algum momento do jogo em que esteja controlando uma ou nenhuma carta de sobrevivente, diminuindo ou anulando assim o impacto causado pela carta de infectado.




Zumbis: As cartas de Zumbis são utilizadas para atacar os grupos de resgate dos adversários e são divididas em dois tipos, as cartas que eliminam sobreviventes aleatoriamente  que são representadas por um número dentro de uma moeda e as cartas que eliminam sobreviventes a escolha do defensor ou do atacante que são representadas por um número dentro de uma seta apontada para o jogador que faz a escolha.




Zombies en La Moneda é um jogo muito divertido e dinâmico, no qual temos alto nível de aleatoriedade o que torna o jogo muito disputado do início ao fim, nosso grupo já jogou muitas partidas deste jogo e sempre fica aquela vontade de quero mais, no geral sempre jogamos várias partidas em sequência, algumas terminam com grandes grupos de resgatados e outras com apenas 3 ou 4 sobreviventes.


Abaixo segue mais algumas imagens  do jogo:


Visão geral dos componentes do jogo.


 Comparativo do tamanho das cartas.



O verso das cartas.


A caixa com as cartas.


Abaixo alguns videos relacionados ao jogo:

Um vídeo tutorial completo em espanhol sobre o jogo, dos episódios de Jugando com Ketty.


Reportagem sobre a HQ chilena.


Protesto dos estudantes chilenos por educação gratuita em frente ao Palácio de La Moneda.

No Chile todos os níveis de educação do Fundamental ao Superior são pagos, mesmo nas escolas e universidades do governo, em outubro  de 2011 quando estive em Santiago pude presenciar um protesto feito pelos estudantes, não era tão elaborado quanto este, mas costumam ser feitos protestos estudantis quase todas as semanas no Chile.

12 de jan de 2012

GP Santiago de Magic the Gathering, conhecendo Zombies en La Moneda.

Zombies en La Moneda é um card game chileno que eu comprei na Devir de lá em outubro do ano passado quando larguei com um amigo rumo ao GP Santiago de Magic the Gathering,como chegamos antes tivemos um dia e meio pra conhecer tudo que fosse possível de Santiago antes de começar a maratona do GP na sexta a tarde que terminaria somente na noite de domingo, entre o torneio principal e os paralelos jogamos somente os formatos deck selado e draft de Innistrad, vou encerrar o assunto do Magic com algumas fotos do evento:


O Mario fazendo a cobertura do evento no Blog da Dice. 

O Impostor
Eu fazendo pose na mesa dos Pró-Players. 

 Day one setecentos e tantos Magic Players listando os decks.

No Hostel depois do banho e do lanche um pouco + de Magic com os hermanos argentinos antes de dormir. 

O Impostor 2
Entrei junto com os juízes na sala da final do GP, Brasil vs. Chile com vitória brasileira, a galera toda no outro salão assistindo pelo telão e eu ao lado da mesa bancando o juiz. 

O Impostor 3
 Quando terminou a final até o Brian David Marshall correspondente oficial da Wizards of the Coasts  no torneio acreditava que eu era da equipe de Juízes.


E o resultado final da jornada, muitos Victory Points.

 No próximo Post, a resenha completa do jogo Zombies en La Moneda.

8 de jan de 2012

Mega Joga da Virada, acumulada!!!

Então após a correria de final de ano uma atualização sobre o que rolou em nossa mesa além dos comes e bebes.


Começamos a função no domingo dia 1º de janeiro de 2012 a tarde com Zombies en la Moneda, joguinho muito simples e barato criado no Chile que eu trouxe quando viajei pro GP  de Magic no final do ano passado, esse jogo já viu muita mesa por aqui e é o preferido no aquecimento de terça antes de The Walking Dead e American Horror History. Esse game merece uma resenha completa no próximo post.

 Mesa posta para os zumbis.

Jogamos Lothar a esq., eu (Jefferson) à direita e Jessica no Meio, nesta partida no meu turno me encontrei com 2 infectados e uma bomba na mão e como somos obrigados a baixar uma carta por turno preferi estourar a última bomba e empatar com o Lothar ao invés de baixar 1 infectado e perder duas cartas de sobreviventes do meu grupo, garantindo assim um empate com 18 sobreviventes pra cada lado.

Esse joguinho sempre diverte e é super dinâmico ao estilo Bang, com muita interação entre os jogadores e a situação de jogo sempre se revertendo rapidamente, já teve partida que jogamos que os zumbis atacaram tanto que ao fim do jogo eu ganhei com apenas uma carta de sobrevivente contra nenhuma da Jessica e da Samantha.
Jogo rápido sempre rolam várias partidas.


Depois jogamos várias do King of  Tokyo e na preparação do jogo tinha até uma Melzilla.


Aqui uma breve explicação do jogo pro Lothar, esse jogo é muito fácil de  montar o setup e ensinar não leva 5 minutos ao todo e mesmo tendo um baralho de cartas em inglês todas são bem intuitivas através da simbologia do jogo e são cartas de uso geral que ficam abertas na mesa ou seja não tem aquele problema  de estragar a jogada por perguntar o que esta carta faz.

Acima e abaixo a carinha de feliz das crianças.

O Mister Garfield estava com tudo neste dia e acabamos trocando o Toledo pela correria dos robôs em Robo Rally, jogo de mecânica muito simples tbm, jogamos um mapa de iniciante sugerido no manual pela primeira vêz com 3 jogadores antes só tinhamos jogado partidas de 2 jogadores eu e a Jessica.
Este vai de 2 à 8 jogadores e com certeza quanto + gente melhor pra intensificar o clima de caos que no qual o jogo funciona, lá fomos os 3 Jessica,  Lothar e Eu (Jefferson) a programar nossos robôs a andar pelo tabuleiro para alcançar os save points antes dos outros, e nisso foram várias programações mal feitas e robõs se empurrando disparando lasers e caindo em buracos. No final tbm levei esta partida.  :p

Só alegria.  :)


Quando falta apenas um jogador pra terminar sua programação a ampulheta é ativada e o jogador tem 30 segundos pra terminar sua jogada ou as cartas que faltam serão colocadas aleatóriamente pelos outros jogadores.
Se vira ae meu.

Pose da Jessica se situando no jogo em relação a posição do seu robô heuaheuaheua.

Outro dia jogamos The Downfall of Pompeii, do mesmo autor de Carcassonne, baseado na história do monte Vesúvio, jogo em 3 etapas, primeiro povoamos a cidade depois quando o vulcão desperta a cada tremor o jogador que puxou esta carta do baralho sacrifica um meeple de um dos seus oponentes, melhor maneira de fazer uma oferenda ao vulcão enfurecido  :)  e quando finalmente o vulcão entra em erupção  é um verdadeiro pega pra capar onde cada jogador compra um tile de lava coloca no tabuleiro de preferência matando ou cercando os meeples dos oponentes e após o jogador movimenta seus próprios cidadãos tentado salvá-los através de um dos portões de saída da cidade. No manual esta fase é chamada de Corram por suas vidas.

Nesta estavamos jogando eu e a Jessica e pela cara de loser da pra saber quem levou o caneco no final.  :(

Game Over.

Por enquanto é isto, um ano novo de muita jogatina para todos os boardgamers que acessam o Blog.